Varredura

VARREDURA

O que precisamos mudar em 2021?

Por ATALIBA GONÇALVES

Certa vez, perguntaram ao Dr. Kaoru Ishikawa, pai dos famosos “5S” de que forma poderiam iniciar a implantação de uma campanha de qualidade na empresa e ele respondeu: ” Sugiro começar varrendo”. E ele quis dizer varrer no sentido literal, com o pessoal pegando a vassoura, limpando e organizando o local de trabalho. O ato de varrer torna-se mais eficaz se metaforizado, ou seja: é preciso varrer também as nossas “impurezas” para que qualquer programa de qualidade: viceje. Isso tem sentido, considerando que o processo abrange basicamente cinco tópicos, na busca da qualidade

  • Ambiente em que se vive ou trabalha;
  • Qualidade Operacional;
  • Qualidade de Serviços;
  • Qualidade Técnica;
  • Qualidade Humana.

Se qualquer um desses fatores falharem, falhará também a implantação da qualidade. Enquadram-se aí, questões atinentes a manutenção, higiene e limpeza e agilização, complementado por um bom planejamento, fixação de metas claras e formas de atingi-las, padronização de normas e procedimentos e o comportamento das pessoas envolvidas (interesse, comprometimento, responsabilidade, motivação, conduta, decisão e ação.)

Importante lembrar que, após a varredura, segue-se a implantação e manutenção das ações necessárias.

É comum culparmos o poder público ao percebermos ambientes onde o lixo e o mau cheiro proliferam, mas esquecemos que para cada meia dúzia de garis que limpam e varrem os locais públicos diariamente, existem centenas ou milhares de pessoas com falhas de comportamento a sujar.

Como é possível perceber, em qualquer área de atuação, para se obter um alto índice de qualidade, em tudo que deva ser realizado, a necessidade de uma “varredura ambiental” deve ser acompanhada também de outra “varredura comportamental” e, com toda a certeza, a segunda é bem mais difícil de se conseguir, tendo em vista que envolve conscientização, formação, e sensibilização aliadas a um processo de educação.

Tomar banho diariamente e ficarmos perfumados é apenas a limpeza da nossa “embalagem”, mas como está o nosso conteúdo?

Necessário, então, varrer o ambiente e varrer também o “lixo” que exista em nós representado por pensamentos impuros, sentimentos doentios, energia negativa e tantos outros pontos de “sujeira” que insistem em habitar a nossa mente e a infectar o nosso corpo, prejudicando a nossa capacidade criativa e o nosso desenvolvimento.

Se conseguirmos realizar uma boa varredura, aí atingiremos mais facilmente e objetivamente a qualidade operacional, de serviços, produtos, qualidade técnica e, claro a qualidade humana.

 

” Se conseguirmos realizar uma boa varredura, aí atingiremos mais facilmente e objetivamente a qualidade operacional, de serviços, produtos, qualidade técnica e, claro a qualidade humana..

Tambaú: uma empresa voltada para a sustentabilidade

Tambaú: uma empresa voltada para a sustentabilidade

Inovação na sustentabilidade e nos negócios

Por ASSESSORIA DE IMPRENSA

Um tema sempre pautado e de grande importância para a Tambaú é a sustentabilidade. A empresa tem uma política interna de reaproveitamento e reciclagem de materiais utilizados na fábrica, com diretrizes e metas através de acompanhamento dos líderes de produção de cada setor. São monitorados desde os padrões de qualidade e produtividade até os índices de desperdício e reaproveitamento.
 
Mensalmente , na Tambaú, são analisados os percentuais  dos materiais como embalagens e outros insumos utilizados na produção que foi reaproveitado ou que foi prensado e enviado para reciclagem. Outras indústrias compram esses materiais para reprocessamento.
 
O cuidado com as pessoas que trabalham conosco e a preservação do meio ambiente é uma preocupação muito antiga na empresa. É da época de dona Terezinha, esposa do fundador da empresa Gerson Gonçalves. Ela foi para a Tambaú ajudar o marido no dia a dia da fábrica. Participava de alguns processos da produção, como embalar doces juntamente com as colaboradoras, que lhe tinham o maior carinho. O sentimento entre elas  era recíproco porque Dona Terezinha foi uma pessoa que sabia ouvir, escutar, aconselhar, ponderar, sempre com um olhar atento para todos. 
 
Uma preocupação constante dela na fábrica era evitar desperdício. Procurava sempre formas de reutilizar tudo que sobrava, desde sacos de açúcar a vidros e embalagens. Foi dela a iniciativa de comprar uma prensa para compactar os materiais que podiam ser vendidos para reutilização. Muitas das ações implementadas por ela na empresa são mantidas até hoje. E o exemplo da importância da sustentabilidade e do cuidado com o meio ambiente deixado por ela é passado de geração em geração na gestão da Tambaú.

” Uma preocupação constante dela na fábrica era evitar desperdício. Procurava sempre formas de reutilizar tudo que sobrava, desde sacos de açúcar a vidros e embalagens. .