O combustível das organizações em tempos de crise

O combustível das organizações em tempos de crise

Como manter tudo sob controle nos tempos atuais?

Por VITORIA CORDEIRO

Caos. Incerteza, instabilidade, sofrimento e medo. Viver uma pandemia em plena revolução digital potencializou a força da informação. Tomamos conhecimento de tudo que está acontecendo no mundo em questão de segundos, tanto as boas notícias quanto aquelas que tem roubado a nossa esperança.

Tudo isso têm levado as pessoas a um nível de exaustão que já é sentido no ambiente empresarial. A perda inesperada de parentes, amigos e colaboradores torna esse momento ainda mais carregado de sofrimento e angústia.

Mas perder a fé não pode ser uma opção. Em tempos de mar revolto, as organizações adquirem papel ainda maior como pilar de sustentação e estabilidade da nossa sociedade. E o leme desse barco é a cultura organizacional que cada uma carrega consigo. São os valores que manterão a coerência e a estabilidade que podem garantir a redução da ansiedade dos colaboradores, pois oferecem direção e dão a sensação, rara hoje em dia, de que no final tudo vai dar certo.

Para que seja bem cultivada, a cultura deve ser o reflexo de um propósito claro da organização. Isso irá motivar os colaboradores a permanecer e fazer acontecer, pois trata-se de algo que transcende sua própria individualidade para atingir um coletivo que, infelizmente, ainda é muito inexplorado até então.

A pandemia trouxe a oportunidade de resgatar nossa humanidade, acelerando ao que vinha sendo estudado como tendência do mercado mundial. Isso no sentido de humanizar nossas relações empresariais, o contato com nossos colaboradores, parceiros e clientes. É certo que, no final das contas, tudo é construído por pessoas e para pessoas.

É através do propósito dessa organização a qual o colaborador, mesmo em meio ao caos, acordará todos os dias disposto a enfrentar essa batalha. Assim ele entende tratar-se de fazer parte de algo muito maior do que o próprio trabalhador. Essa sensação de pertencimento é o que fideliza o colaborador à causa que a organização sustenta e é fator decisivo para o crescimento empresarial.

E essas questões levam a uma reflexão muito mais profunda e intensa aos líderes da atualidade. É a razão de existir, enquanto ser humano e líder, que sustentará o propósito da organização a qual lidera. Como consequência, será o leme que dará direção e esperança aos seus colaboradores, na certeza de que, após a tempestade em meio a mares revoltos, a bonança finalmente prosperará

” A pandemia trouxe a oportunidade de resgatar nossa humanidade, acelerando ao que vinha sendo estudado como tendência do mercado mundial. Isso no sentido de humanizar nossas relações empresariais, o contato com nossos colaboradores, parceiros e clientes. É certo que, no final das contas, tudo é construído por pessoas e para pessoas.